“Escolha um trabalho que você ame e você nunca terá que trabalhar um dia da sua vida”.
Eu sempre li essa frase e semana passada a Quel postou no Facebook reafirmando seu amor por #RelaçõesPúblicas.
Gente! Que loucura, né? Quando eu decidi o que faria da faculdade (sou formada em Negócios da Moda) minha mãe foi contra, ela sempre acreditou que emprego de verdade é o de carteira assinada em uma multinacional que te lota de benefícios, essa sempre foi a realidade dela e é até hoje, eu nunca me vi dentro disso, mesmo antes de entrar no mercado de trabalho. Meu pai por sua vez me disse que eu tinha que fazer o que amava, que ele tinha feito uma faculdade da “moda” na época, que seria promissora e nunca exerceu a graduação na qual se formou.
Com a cara e a coragem eu fiz minha faculdade, gostei dela do início ao fim e me dei ao luxo de pular de trabalho em trabalho, estagiei em agência de modelo, confecção, importação, assistente de estilista, mercado de acessórios, vestuário e homewear, nesse último me apaixonei, tive um chefe que foi uma escola pra mim, me ensinou tudo o que eu devia e o que eu não devia fazer, me ensinou como ser e como não ser (melhores chefes esses, o meu hoje já falecido, mas muito presente pra mim, todos os dias, mesmo). Acreditei até que seguiria no mercado de importação de cama, mesa, banho e decoração, mas na crise de 2008 eu caí fora e dalí em diante todos os meus caminhos me puxaram para a Internet!
Screen Shot 2015-08-03 at 12.24.19 AM

Ainda bem! O blog surgiu, migrei por alguns empregos na área de moda, mas o mundo online sempre me puxava pra ele de uma forma ou de outra. Sou comunicativa, tenho um bom relacionamento com as pessoas e descobri virtualmente o caminho para transformar isso em prazer e profissão.
Hoje eu não sei dizer se meu hobby virou trabalho ou se o meu trabalho virou hobby.
Convivo e falo diariamente com mais de 50 blogueiros do meu casting e sou bem próxima da maioria (que delícia que é trabalhar ao lado de quem se gosta o dia todo, e a noite também)
É correria? É.
Tem muito trabalho? Tem sim senhor?
A gente se estressa? Muito, quase todo dia.
Se eu me vejo fazendo outra coisa? Não.

Hoje, o casting da MZ.id é como uma grande família, alí tenho melhores amigas, confidentes, companheiros incríveis de trabalho. Falo todos os dias com as meninas que muitas de vocês leitoras gostariam de falar, sou amiga pessoal de pessoas que muitas de vocês admiram, e garanto, eu admiro ainda mais.
Acordo feliz, trabalho muito o dia todo e quase sempre durmo realizada.
Os clientes viram brothers. A Quel, que citei lá em cima é uma delas, hoje nem mora mais no Brasil mas continua do ladinho, sabe?
Já ouvi dizer que não devemos nunca contar que estamos felizes, que isso desperta a inveja nos outros, as más impressões e as tais bad vibes. Até concordo, mas sou osso duro de roer mesmo e aprendi com esse time lindo que as críticas sempre vão vir, não importa o que a gente grave, poste, use, escreva ou fale.
Screen Shot 2015-08-03 at 12.25.09 AM
Volta e meia recebo comentários lindos pedindo que eu crie um canal, e vou ser bem sincera, já pensei, mas não acho que seja para mim, por enquanto vou continuar somente participando dos vídeos de algumas meninas esporadicamente. Pensem comigo, o blog voltou agora e mal dou conta dele, um canal seria muita responsabilidade, quem sabe um dia, mas por enquanto eu vou ficar só no Cabideiro mesmo, tá?! =)

Muitas de vocês me perguntam o que uma agente de blogueiras faz.
Eu não sei o que as outras agentes fazem, mas pra mim, hoje eu só posso dizer que faço a coisa certa.

Sou do tipo que adora um café da manhã de hotel americano, ok, não que nos hoteis daqui ou dos outros países do mundo a gente não tenha ovos mexidos, mas são um clássico da terra do Tio Sam, de fato. Também sou do tipo que independente da refeição adora um ovo frito ou mexido, acho barato, gostoso e fácil (nem tanto na real porque gosto da gema molinha e sempre quebro), mas tem uma coisa que pode me fazer perder total a vontade de comer ovo, a aparência.
ovo2
No fundo sou a maior criançona, tive a sorte de crescer com um pai super caprichoso e talentoso, daqueles que sempre mandava o lanche da escola com bilhetinho e decorava pratos, foi assim comigo e com a minha irmã que é 10 anos mais nova, o arroz era a base, a salsicha era o olho, nariz… e muitas vezes o ovo mexido fez papel de um cabelo loiro por alí, mas minha parada é ele frito e decidi que quando tiver a minha casa (toma vergonha na cara, que seja logo) o ovo além de frito vai ser também bonito.
ovo1
Sou péssima na cozinha? Não! Sou boa? Também não! Acredito que as tais forminhas podem me ajudar muito, a parada do pimentão aí eu já achei complicada e a do peixe não me atrai, não sou fã de catchup, me perdoem, mas que é fofo é.
Vocês acham que esse tipo de preparo é a maior frescura ou faz a diferença? Quero opinião!

Esse post deu fome.

Eu sou a louca das coleções, não que eu compre, mas adoro as parcerias entre as marcas incríveis e os estilistas tão incríveis quanto, sabe? E vou contar um segredo, não tenho muita paciência para seguir estilistas no instagram, o que não é o caso da Mary Katrantzou, eu sigo e dou like em tudo, verdade, babo em cada peça nova que ela produz.
voltando as coleções, acho demais essa expansão, as novas leituras e as parcerias entre os grandes, aqui no Brasil temos a C&A e a Riachuelo dando uma sambada no assunto, né? Trazendo galera de peso internacional e também dando um bom valor para marcas nacionais bem legais em coleções exclusivas e mais acessíveis nos magazines.
Mas vamos falar de mundo, ok? Pra mim, e que fique bem claro, PRA MIM, nenhuma marca tem feito isso tão bem quanto a Adidas Originals, eu já quis muita coisa, de Pharell a Rita Ora (voltando para os tupiniquins, quase todo mundo desejou as jaquetinhas da Farm com eles também que eu sei), mas nada, nunca, nenhuma coleção me deixou tão empolgada quanto a da Mary Katrantzou para eles, babem comigo:
Mary-Katrantzou-x-Adidas-Originals-le-Mont-Olympe-des-annees-80_w300
A Mary é Grega mas vive em Londres, faz as estampas mais incríveis que eu já vi e adora uma modelagem diferente. Rola trazer toda essa inovação para a linha antenadinha da marca esportiva? Não só rola como ela fez e fez lindo, diz aí? Longos, maxi casacos, vestidinhos, croppeds, todos com as estampas maravilhosas que a Mary faz quase melhor que ninguém. Vem ver tudo no site dela!
Se chega na Adidas originals aqui do Brasil? Não sei, mas a gente sabe que se vier, não vem tudo e ainda assim vem pouco, ou seja, se quiser muito, mas muito mesmo uma peça, liga na loja, descobre o nome do gerente e enche muito o saco, coloca o nome na lista, faz promessa, vira o santo, deixa de comer chocolate…sei lá.
Aliás essa é a típica coleção que me faz deixar de comer chocolate mesmo, pra ver se emagreço e caibo nas peças, né? Não tem plus, mas to até cogitando comprar algo como incentivo, acho justo comigo mesma!
=p

Quer conhecer mais do trabalho da Mary Katrantzou? Clica!